racismo

A Rede Evangélica Record na reportagem tendenciosa contra povo africano

Já não é segredo que Edir Macedo e companhia “Rede Record” perseguem as religiões de matrizes africanas, mas esta última reportagem mostrou que além de profissionais desqualificados, o racismo velado continua vivo por onde passa o braço da igreja.

Podemos observar que no vídeo não mostra as crianças assassinadas nos rituais, mesmo que o repórter tente levar a opinião pública a isso, analisando a chamada “repórter mostra como acontecem os rituais de magia negra em Uganda”, citando magia negra de forma pejorativa numa clara visão de intolerância religiosa que normalmente vemos em suas igrejas aqui no Brasil.

Antigamente o racismo cristão era total, hoje é “amenizado” se o negro desistir de lutar pela sua cultura, tradição, religiosidade e se tornar um cristão.
Já que querem falar de sacrifício humano e religioso que tal citarmos algumas partes da Bíblia onde Deus manda invadir e aniquilar os pagãos ou quando a Igreja católica chegou à África em nome de Jesus Cristo e assassinou milhões de pessoas e os assassinatos nas Cruzadas em nome de Deus? Ou quem sabe podemos falar sobre a colonização do Brasil onde católicos e protestantes utilizaram a escravidão em beneficio próprio e em nome de Deus.
Posso até imaginar a desculpa, tudo isso aconteceu nos séculos passados, mas esse vírus da intolerância da maldade do ser humano se faz presente até os dias de hoje.
Gostaria de ver o Ministério Público investigar esse crime contra o povo negro e africano, pois essa reportagem da Record é esdrúxula e tendenciosamente universal.
Porque será que a Igreja Record Universal não tem temas como:
– Os massacres cristãos
– 171 – Charlatanismos nas Igrejas
– Evangélicos massacrando os povos negros na África


Quero alertar ao povo brasileiro que o que acontece neste vídeo gravado na África onde vários grupos e igrejas evangélicas continuam a destruição que a igreja católica iniciou.
Qual a diferença entre esses cristãos? Não vou falar das diferenças e sim das conseqüências que levaram os negros da África a exclusão total, ao massacre mental e as infinitas atrocidades. Infelizmente o que aconteceu na África acontece hoje no Brasil em Quilombos e Aldeias Indígenas.
“Ser negro não é fácil, ser mulher negra não é fácil, ser criança negra não é fácil”, mas pertencer a uma religião negra é muito difícil, porque os racistas já convenceram o nosso povo que satanás deles está em nossas tradições.
Por Oluandeji

fonte: http://religioesafroentrevistas.wordpress.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s