Fatos e acontecimentos/racismo

>Por que os negros brasileiros preferem as loiras?

>

Não é um problema só nosso. Muito menos de falta de esclarecimento. Basta lembrar de algumas frases do líder negro norte-americano Eldridge Cleaver, em sua autobiografia Alma no Exílio. 

“…Não existe amor entre um homem negro e uma mulher negra. Eu, por exemplo, amo as mulheres brancas e odeio as negras. Está dentro de mim, tão profundo que já não tento mais arrancar.”

“Todas as vezes que eu abraço uma mulher negra, estou abraçando a escravidão, e quando envolvo em meus braços uma mulher branca, bem… estou apertando a liberdade.”

O livro foi escrito nos anos 70 e hoje, às portas do Terceiro Milênio, homens negros, no todo ou em parte, concordam com sua análise: “É, sem dúvida, uma comparação interessante, porque o branco representa realmente essa grandeza. Acho que sempre relacionei a mulher negra ao retrocesso”, confessa D.P., administrador de empresas negro, bem-sucedido, quarentão, que só aceitou falar sobre o assunto desde que fosse preservada sua identidade. Motivo? “Não consigo ter um papo-cabeça, inteligente, com a minha mulher. Nunca conversamos sobre isso, apesar de estarmos casados a 22 anos e termos dois filhos.”

D.P. até fez uma reflexão: “Se eu encontrasse uma negra na faculdade, será que eu me casaria com ela?” Ele mesmo responde: “Não. Minha esposa não tem curso superior, é baixa, gorda e tem barriga”. Mas é branca. 

“…Não serei livre enquanto não puder ter uma mulher branca em minha cama…”

Esta outra frase do texto de Cleaver bate fundo em D.P. Para ele, essa é a verdade crua, pelo menos no seu caso: “Eu não queria ser do samba, da zona leste, onde nasci. Eu queria um ambiente não negro, e vi na mulher branca a porta de saída par

a um mundo melhor. Além disso, tinha que mostrar que poderia ter quantas mulheres brancas quisesse. Na juventude, fui rejeitado pela família de muitas namoradas”.

Ana Lúcia Valente, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, pós-doutorada em Antropologia, faz esta avaliação do problema: “Quando o homem negro tem o domínio sobre uma mulher branca ele reafirma sua masculinidade. É a reatualização da prática racista -’eu domino essa branca’”.

O negro Joel Rufino dos Santos, historiador que esteve à frente da Fundação Palmares, do Ministério da Cultura, confessa: “Toda a ânsia de ascensão do negro talvez tenha por objetivo ser o branco, e ele só o alcança – ou julga alcançar – quando enfim possui sexualmente a branca”.

“Com uma loira dessas… ele deve ser muito bom de cama” – À pergunta, feita sem rodeios, por que os homens negros preferem as loiras?, Antônio Campos, diretor do Guia do Círculo Negro, reagiu com indignação: “Como preferem?! Não tem preferência. Não importa se é preta, branca, amarela, japonesa. Se o cara é da periferia e nunca teve acesso a uma mulher clara, existe a curiosidade, o oposto atrai. Mas isso não vale para a totalidade dos homens negros.

Namorar, casar, tem a ver com a química, a paquera, o jeito, o olhar. Eu acho que o emocional não tem cor”. Outro administrador de empresas, Cleto Peppe, dono do Dorment’s Bar, reforça a idéia: “Não é uma questão de preferência, é uma questão de coincidência”.

O psicólogo negro Sérgio Ferreira da Silva não concorda. Segundo ele, “os homens negros preferem as loiras por medo de perpetuar a raça. Quando você olha o negro, vê o sujo, o piche, o macaco. É o que ele vive quando criança na escola e traz para a vida adulta. Aí, quando ele pensa em casar, sai em busca da mulher branca como objeto de negação da própria cor”.

Cleto Peppe discorda. Para ele, negro que diz sofrer ou ter sofrido preconceito é porque se considera inferior, tem complexo. Um exemplo? Ele próprio. “Todo mundo encara normalmente o fato de eu andar com mulheres brancas”, diz com a maior naturalidade.

A antropóloga Ana Lúcia Valente, em seu livro Ser Negro no Brasil Hoje, da Editora Moderna, lembra uma vez em que, conversando com amigos num bar, viu entrar um casal, ele negro, ela loiríssima: “Imediatamente o bar foi tomado por um silêncio constrangedor. Todas as atenções voltaram-se para esse casal. Passado o primeiro momento, ouvi comentários de mesas próximas:

‘Ele deve ser rico! Senão, não conseguiria sair com uma loira dessas!’
‘Qual o interesse que uma loira pode ter por um negro? Ela deve estar numa pior…’
‘Esse cara deve ser muito bom de cama…’”.

Com 30 anos de praia, como diz, e 46 anos de idade, Antônio Campos também não tem dúvidas quanto à visibilidade negativa que a mulher branca dá ao homem negro: “Quando você está com uma branca do lado, todo mundo quer saber o que ela viu em você”.

“Ela pode ser pobre, feia e gorda. Mas é branca”

No geral, o homem negro não costuma ser seletivo na hora de escolher a mulher branca: pode ser pobre, feia, caindo aos pedaços. “Tenho um amigo que apanha da mulher. Ela faz dele gato-sapato e eu acho que ele aceita tudo só porque ela é branca. Isso é inadmissível. Tem cara que pega o kit completo – filho, dívidas, família… – só para ter uma branca do lado.

Muitos homens negros não vêem nenhuma necessidade de “dourar” a pílula para justificar sua preferência pelas mulheres loiras. O historiador Joel Rufino dos Santos, por exemplo, no livro Atrás do Muro da Noite – Dinâmica das Culturas Afro-brasileiras, da Fundação Palmares, em seu último capítulo, não teve o menor pudor de transformar todas as mulheres do mundo em coisas, em objetos de maior ou menor valor. E tudo isso para esclarecer o porquê de os negros bem-sucedidos arranjarem uma branca, e de preferência loira.

Ele escreveu: “A parte mais óbvia da explicação é que a branca é mais bonita que a negra, e quem prospera troca automaticamente de carro. Quem me conheceu dirigindo um Fusca e hoje me vê de Monza tem certeza de que já não sou um pé-rapado: o carro, como a mulher, é um signo”.

A comparação, embora machista, cruel e desumana, é um fato. “Na sociedade machista, a mulher é vista, sim, como um objeto de consumo. E objetos de consumo conferem status e poder a quem os adquire”, confirma a historiadora Maria Aparecida da Silva, do Geledés.

Na estrutura social e econômica brasileira, o homem negro está abaixo da mulher branca quando o assunto é trabalho assalariado. Então, para ele, o caminho possível de ascensão é a conquista de um “objeto” de valor do homem branco.

Menos razão, mais emoção, o instrutor esportivo Cristiano dos Santos, 26 anos, casado há cinco meses com uma loira, também faz parte dos que acreditam que essa escolha, segundo seus padrões, tem motivos óbvios: “Elas são mais bonitas, mais sedutoras, mais cultas”.

Cristiano é carioca, mora em Dourados (MS) e comenta que conversa muito sobre o assunto com seus amigos, a maioria casada com mulheres brancas: “Nós conversamos muito sobre isso porque sentimos na pele a discriminação. Já entrei em parafuso por causa disso. Mas, hoje, não ligo mais, apesar de todo mundo dizer que eu casei com a minha esposa porque ela é branca, formada em Psicologia, e porque a família dela tem grana. Não passa pela cabeça das pessoas que foi o amor que nos uniu”.

“Aliviando” a consciência do homem negro, existe um outro fator a ser considerado quando o assunto se refere a relações mistas. E é mais uma vez Antônio Campos quem diz: “A verdade é que são as mulheres brancas que preferem os homens negros. Desde – é claro – que eles tenham algo a oferecer”.

“Este é o ponto” – confirma a antropóloga Ana Lúcia. “Eles preferem as loiras, mas a recíproca é verdadeira. Elas também preferem os negros. E isso só vem reafirmar a ambigüidade das relações raciais no Brasil. Daí casais mistos incomodarem tanto as pessoas. A loira ao lado do negro, de alguma maneira, mostra que não é racista. Ela vai para a cama com ele, tem filhos com ele. Quer dizer, põe abaixo a bandeira do racismo. Agora, se o relacionamento entre os dois não der certo, se o negro deixar a loira por qualquer outra mulher, ela pode assumir o discurso de que ‘negro, quando não faz na entrada, faz na saída’ ou, ainda, ‘bem que me avisaram…’ etc., etc.”

Na análise de Sérgio Ferreira, psicólogo, o negro fecha a porta da afetividade para a mulher negra porque para ele aceitá-la vai ter de se identificar consigo mesmo.

No entender de Sueli Carneiro, do Geledés – Instituto da Mulher Negra -, “para homens e mulheres negros engajados e comprometidos com a mudança das relações raciais e sociais no Brasil e no mundo, seus parceiros, quando brancos, não são objetos de consumo, símbolo de status nem garantia de mobilidade social: são companheiros e companheiras, seres humanos, que não simbolizam êxito, mas a possibilidade do encontro, da solidariedade, do amor entre grupos étnicos e raciais diferentes”.

O ruim nas relações mistas é que, muitas vezes, os negros não conseguem mais manter sua identidade. Não é preciso puxar muito pela memória para buscar exemplos da já clássica fórmula: “negro bem- sucedido + mulher loira”.

É só correr os olhos pelos campos de futebol ou pelos palcos. O ex-ministro Pelé, para quem não se lembra, foi namorado da Xuxa.

A lista tem, entre outros, os corintianos Gilmar e Marcelinho Carioca e o mais emblemático de todos os casos: Ronaldinho, o noivo de Suzana Werner. Entre os grupos de pagode, quem não pensa em Alexandre Pires e Carla Perez?

Como lembra o psicólogo Sérgio Ferreira: “Os homens negros de sucesso não têm a questão econômica, mas têm a questão concreta da cor, ou seja, por mais que eles tenham dinheiro, não conseguem se livrar da cor negra. Ele busca na loira o seu lado branco”.

Para Sueli Carneiro, do Geledés, “qualquer homem negro no Brasil, por mais famoso que seja, ou por maior mobilidade social que tenha experimentado, não tem poder real, se “bem-sucedidos” individualmente servem apenas para legitimar o mito da democracia racial”. “O homem negro”, diz ela, “utiliza a mulher branca como emblema ou garantia de seu sucesso.”

Por :TANIA REGINA PINTO
Revista Raça

44 pensamentos sobre “>Por que os negros brasileiros preferem as loiras?

  1. >As explicações são todas verdadeiras porém insuficientes. Veja por exemplo o caso do Kofi Anan. Ele é um dos negros de maior prestígio no mundo moderno. Nem ele ou seus ancestrais foram escravizados. E no entanto ele também casou com um mulher loira… Outra coisa que os negros precisam aprender e ensinar para as suas crianças: os homens negros bem sucedidos NÃO DÃO EMPREGO PARA OS NEGROS POBRES. Deve-se buscar também uma explicação para isso, além de procurar entender porquê eles preferem as loiras….

  2. >É fácil apontar o dedo contra o "mundo branco". Mais difícil é lembrar quanto os negros tratam mal seus semelhantes. Exemplos não faltam: Ruanda e sua luta fraticida, Angola e sua guerra entre pretos e iguais, Moçambique e sua república de merda que tem grande parte da sua população com o virus do HIV… O problema é que lá não tem loira para todo mundo…

  3. >Sabe o que eu não entendo? Toda essa preocupação em saber porque um cara negro se interessa por uma mulher roxa, loira, vermelha, enfim…Sou negra, não tenho nenhum problema com minha cor e não acho que essa preocupação seja relevante na vida de ninguém. Amores não tem que ser condicionados a etnias, nem mesmo pra levantar uma bandeira atrasada de afirmação racial. Até porque, raça é somente uma a humana. E como li uma vez num livro cujo autor me escapa à memória: "Cor é apenas um cosmético". Vejo alguns negros radicalizarem suas filosofias de vida querendo interpretar que negros alisam o cabelo porque tem vergonha da sua origem, que pintam o cabelo porque querem enbranquecer…Ora, estamos em 2011 e vivemos num ghetto mental? Somente brancos podem mudar a aparência e escolher aquilo que lhes faz feliz? Não seria isso um tentativa de apartheid às avessas?Acho que já passou o tempo de querer separar o mundo em o que é de negro, o que é de branco, o que é nipônico, sabe? A globalização está aí pra aproximar as culturas e as pessoas. E nesse ponto sou a favor de valorizar culturas, mas não fazer delas uma forma de curralizar os pensamentos.Sem ofensas. Palavras de uma mulher negra, fruto de uma família multirracial.

    • .gostei da sua resposta. na verdade adorei. eu sou negro e já namorei com todo tipo de mulher e de diferente etnia, e nunca vi isso que está descrito nos textos dos mestres e doutores acima. amo porque amo e nada mais.

    • Uma questão pertinente…porque no Brasil ainda adotam o termo “negro” em vez de “preto”????
      É apenas curiosidade……. os dois termos têm significados diferentes, só pesquisar no dicionário. Abs.

  4. Parece que a cidadã do comentário anterior não entendeu, ou NÃO QUIS ENTENDER, que a intenção não é separar o mundo naquilo que é de negro, de branco, de nipônico, ou de qualquer outro povo. Não estamos nos referindo aos negros que EVENTUALMENTE envolveram-se com mulheres brancas, mas sim à SISTEMÁTICA rejeição de qualquer mulher negra. Este é o ponto! É muito fácil dizer: não tenho problema nenhum com a minha cor … amores não tem que ser condicionados a etnias … e por aí vai! Mas a verdade inegável é que estas são as exatas palavras usadas por negros e negras que excluem as pessoas de sua própria etnia quando se trata de relacionamentos amorosos. E eu citei negros E NEGRAS porque, no Brasil, o que tem de mulher negra que despreza homens negros não é brincadeira! Boicotam qualquer possibilidade de envolvimento conosco. Quando percebem algum interesse de um negro, fecham-se completamente dentro de um casulo cujas paredes são feitas de frieza, pouco caso, e coisas semelhantes a estas. O complexo com a sua negritude é tão grande, que procuram “amenizá-la” em seus filhos, gerando-os com homens brancos. Tentando tornar a imagem de seus filhos diferente, o máximo possível, de sua própria imagem afro. E é por culpa dessa mentalidade que o Brasil está repleto de mulatinhos que não conhecem o pai. Ou que, mesmo conhecendo-o, não convivem com ele da forma como pai e filho deveriam conviver em um lar. É triste, mas não pára por aí, porque ainda tem a solidão em que termina a grande maioria das negras portadoras desse tipo de mentalidade, e que não são poucas. Cada etnia tem a sua própria beleza, mas o sistema excludente em que vivemos estabelece padrões de estética, que induzem muitas mulheres negras a desvalorizar sua própria aparência. Contudo, reconheço que algumas utilizam químicas de alisamento de cabelos apenas por vaidade, e não por desvalorização da própria identidade. Quem assume uma identidade negra não está tentando afirmar que pertence a uma raça diferente da raça humana. Então, não se trata de uma 'bandeira atrasada de afirmação racial', mas sim da elevação da consciência e da identidadede negra. Que este comentário sirva pra mostrar que o problema vem dos dois lados, tanto do homem quanto da mulher negra. E que também sirva para provar que quem levanta esta questão não está, de forma alguma, tentando um apartheid às avessas. Quem afirma isso está fazendo vista grossa para não ter que aceitar a VERDADE.

  5. Eu lamento muito que ainda exista pessoas que continuem com pensamento do senhor da fazenda, não é questão de separação, ou de uma simples escolha, ou gosto, é uma aceitação de sua negritude…gostei muito da matéria e acho bem interessante abordar esse assunto que todo mundo fala bem baixinho com medo de ser ouvido.

    • Como mulher negra estou decepcionada com o machismo e preconceito de alguns homens negros que penas .Estes homens não gostam de si pro pio não se valorizam me sinto muito triste e decepcionada .

  6. fllae, comentário muito bom esse seu. Só me da licença pra complementar com o seguinte: apesar de algumas pessoas viverem tentando convencer oBrasil e o resto do mundo qu nao existe racismo aqui em terras tupiniquins ,a verdade é que existe racismo aqui sim neguem o quanto quiserem. Porém ,é bem mais facil negros e negras apontar o dedo para o preconceito dos brancos do que reconhecer o preconceito que faz eles excluir outros afrodescendentes no momento da escolha de parceiros. É o caso que vpoce citou de mulheres negras que se fecham pra nós com frieza e pouco caso, e verdade já aconteceu comigo.o texto fala dos negros que rejeitam mulher negra e que dão total exclusividade para brancas, mas temos obrigaçao de abrir os olhos da sociedade para um fato: muitas vezes nós é que somos excluidos pelas mulhers de nossa etnia..Algumas só faltam tirar a calcinha e jogar em cima de um branco que passa por elas, mesmo que o sujeito nem seja grandes coisa. e são as mesmas que fingem nem nos enxergar quando a gente passa por elasIsso me deixa indignado porque gosto demais de mulher negra, mas muitas daquelas que sao bem bonitas não querem nada com a gente. Isso tem que mudar de qualquer jeito, nem que a gente tenha quefazer uma revolução nesse pais pra melhorar a autoestima dos afrodescendentes, porque é a falta de estima com a sua africanidade que faz muitos de nosos irmãos e irmas desprezar aqueles que sao iguais .

  7. É um triste fato, nunca esquecerei o nome deste negro desgraçado que nega sua própria raça!É de fato que a mulher branca é, e por muito tempo será, a mulher mais desejada pelos negros, e não só por eles, por todas as outras pessoas.Agora eu entendo os movimentos raciais separatistas, é um fato negro miscigenando com branca destrói as duas raças e um dia não existirá nem negro nem branca só um amontoado de multiétnicos. Eu sou multiétnico mas me considero negro. E vou me casar com uma Negra!Ler as coisas que este cara negro escreveu me deu uma tristeza ENORME!

  8. É triste o fato de ser o negro o racista da atualidade.Sou negro, casado com uma loira, mas não sou rico e ela tambem não,e acredito que o que nos uniu foi e sempre será o amor, a despeito do que digam negros recalcados e mal resolvidos na sua vida amorosa ou pessoal. Não participo de movimentos negros, pois acredito no meu valor pessoal e não de grupo étinico, qualquer que seja ele. Resolvo meus problemas com o auxilio de mminha familia, e nãocom opinião de pessoas visivelmente perturbadas.sinto muito por tudo isso.

    • voce pode até achar que foi o amor, mas dentro de voce algo diz que conquistou sua liberdade. Observe dentro de voce e reflita. Sou neta de italiana e namorei homens de todos, todos os tipos. Não prefiro os negros, prefiro o que mais me agrada, mas sou inteligentemente livre e independente, trabalho e ganho muito bem, separada, um filho negro e lindo, estuda engenharia, mas nos Homens negros é uma coisa incutida no subconsciente dele, em sua maioria, é claro, não posso generalizar coisa alguma. mas faça algo errado para sua esposa branca ou separe-se dela e veja como será tratado pela familia dela e tudo mais… Meu atual noivo negro passou por isso. Ele diz que depois que separou da branca, a familia dela, que ele quase sustentava a todos, falavam mal dele e ela mesma disse que queria ve-lo morto. e olha que ele os tratava na palma da mão…. ficaram os filhos, todos nasceram negrinhos, por mais que ela se dizia loira… filha de cearense, loira?

  9. Parece que o HuskyWolf está insinuando que os movimentos negros são separatistas. Tenho certeza de que ele não é militante porque, se fosse, não postaria uma informação incorreta como esta. E devo alertar a todos que algumas pessoas tem se passado por militantes para tentar distorcer as idéias e objetivos do movimento negro. Já foi deixado bem claro em outro comentário que não se trata de separar o mundo naquilo que é de branco, de negro, ou de qualquer outro povo. O fato é que muitos negros introjetam os conceitos racistas da sociedade. De que negro é feio, é burro, tem cabelo ruim, e até outras coisas piores, e por isso fogem de relacionamentos com pessoas da mesma etnia. É isso que nós, que temos consciência, estamos tentando concertar. Mas, infelizmente, algumas pessoas distorcem tudo, e insinuam que a nossa preocupação é com destruição de raças, sendo que nem existem várias raças humanas, mas apenas uma. Também identifico uma clara tentativa de distorcer a realidade com essa afirmação de ser multiétnico. Multiétnico não é identidade, e nem mesmo faz algum sentido identificar-se dessa forma. Vou repetir aqui o mesmo comentário que escrevi lá no blog do Jota Antunes: Algumas pessoas tem tentado distorcer a finalidade de discussões como esta, passando a idéia de que quem discute esse assunto é racista. Debates como esse não são voltados aos negros que, por acaso, envolveram-se com mulheres brancas, mas àqueles que desprezam qualquer mulher de sua própria cor/etnia para fins de romance/relacionamento. Isso sim é racismo. E é racismo com pessoas de sua própria etnia. Portanto, o negro que se envolveu com mulher branca por um acaso do destino deve entender e admitir que milhões de outros relacionamentos ‘negro/branca’ não são simples obra do acaso, mas o resultado de um certo esforço de alguns de nossos irmãos afrodescendentes em evitar as mulheres que lembram a sua própria imagem afro, que consideram negativa mesmo sendo a imagem de seus pais. É só ver o péssimo exemplo do sr. Eldrige Cleaver. Penso que, quando alguns negros fazem tanta questão de dizer que estão com uma branca porque não tem preconceitos, estes estão, na verdade, tentando esconder o preconceito que tem com as mulheres de sua própria cor… Digo isso porque quem é realmente consciente de que não tem preconceitos não sente a necessidade de afirmar isso aos quatro cantos do mundo. A sua consciência lhe basta.

  10. Assim como Eldrige Cleaver, muitos negros brasileiros também odeiam a mulher negra. São pessoas visivelmente perturbadas e mal resolvidas, porque eles mesmos são negros, assim como seus pais e irmãos. Mas creio que dizer que o racista é o próprio negro é a forma que o sistema tem de inverter suas culpas e responsabilidades pela situação dos negros, tanto a situação social (pobreza e exclusão), quanto a situação psicológica (baixa auto-estima). Uma criança negra começa a construir sua identidade a partir de estereótipos que caracterizam os negros como inferiores, menos inteligentes, e tolos. Cresce estudando em livros didáticos onde o negro é sempre caracterizado em situações de submissão, como escravos ou subservientes sociais. Além disso, adolescentes e adultos negros vêem na mídia que o símbolo da beleza, da saúde, do bom, do belo e do sucesso não se parece com eles. Certamente existe amor entre pessoas de etnias diferentes, mas todos os elementos citados devem ser levados em consideração quando falamos de negros e negras brasileiros, pois muitos querem ficar o mais distante possível daquilo que aprenderam a se envergonhar: sua própria etnia; sua própria identidade. E isso os leva a evitar relacionamentos (namoro, casamento) com outros negros.

  11. Todos os estereótipos que nos causam vergonha e sofrimento foram intencionalmente implantados no imaginário nacional para gerar sentimentos de baixa auto-estima na população negra. Isso não aconteceu por acaso. As elites vem usado essa estratégia covarde (de criar valores discriminatórios) para induzir negros/negras a fugir de suas matrizes étnicas, e reproduzir a ideologia dominante, de “clarear” o Brasil. Apesar de ser uma ideologia criada para discriminar o próprio negro, ela ainda está atuante no imaginário de muitos afro-descendentes, gerando desprezo mútuo e desunião entre nós.

  12. Sob forte influência de idéias eugenistas, as elites sempre tiveram a intenção de eliminar o fenótipo e a identidade negra do Brasil (como fenótipo me refiro à cor, traços e quaisquer caracteres herdados de povos africanos). Desde o período pós-abolição muitos dos que defendiam essa limpeza étnica, acreditavam que a miscigenação massiva poderia ser um meio eficiente de atingir este objetivo … Em 1923, o deputado federal Carvalho Neto garantia que o negro, no Brasil, desapareceria dentro de 70 anos". Em 1938, o escritor Afrânio Peixoto previa que em 200 anos "terá passado inteiramente o eclipse negro". E essas são apenas algumas entre muitas e muitas outras declarações do tipo. Mas hoje em dia a coisa é mais discreta … É claro que esperava-se que essa miscigenação se limitasse ás camadas mais humildes da população brasileira, e é assim que tem sido até hoje, porque quem a pregava e ainda prega (que são as classes dominantes) não querem, nem em sonho, que seus bem-nascidos rebentos estejam envolvidos com afro-descendentes. Mesmo não havendo mais declarações explícitas de políticos e acadêmicos nos dias de hoje, essa ideologia não morreu no passado. Por exemplo: nas décadas passadas os negros sempre eram vistos na TV representando papéis de subalternos; ou de escravos em novelas de época. Mas atualmente, na maioria das vezes que se vêem personagens negros estão formando casal com pessoas brancas! Eu não tenho problemas quanto a casais de grupos étnicos diferentes, mas QUASE NUNCA SE VÊ CASAIS DE NEGROS na televisão brasileira. Já presenciei dezenas de pessoas perguntando o porquê de serem tão raros os casais de negros em novelas, mini-séries e programas em geral produzidos por um país com tantos negros em sua população .. Para mim a intenção é clara: reforçar a idéia de que o símbolo de sucesso que se deve aspirar é ter parceiro/parceira branco/a. Não sou contra a miscigenação, mas no Brasil ela sempre foi forçada. Forçada por meio da promoção de relacionamento interraciais, e de agressões psicológicas que nos induzem a odiar nos outros negros aquilo que aprendemos a odiar em nós mesmos.

  13. Triste porque nao e so o sistema brasileiro que induzem a odiar, tratar mal, e mas coisas negativas que existem entre os negro, e o ciclo vicioso em todo canto do mundo, inclusive em africa e igual ou ainda pior. Eu sou Mocambicano e as relacoes mistiças aqui nao sao frequentes gerando curiosidade da parte negra, por um lado compreendo porque que quando alguns negros ca atinjem a independencia economica muda de preferencia de negras pra mistas. Os mistos geralmente nao se deixam envolver com negros, crescem dentro do mesmo ambiente e so convivem entre eles. Na minha singela opiniao eu acho que isso gera curiosidade pelo simples facto dos negros limitarem-se a envolverem-se entre eles que automaticamente logo que alguns deles alcaçam a liberdade economica ve-se com a opurtunidade de esperimentarem aquilo que nunca fora aceite.Uma mista ca mesmo que seja perapada procura envolver-se com 1 misto que ira lhe aceitar nas condicoes que esta, e quando o negro se torna independente financeiramente, ele automaticamente passa a ter o poder de compra com tudo, conseguindo aliciando e tornando-se centro de atencoes.Alguem disse-me “Mulatos nao gostam de sofrer se tu tiveres dinheiro aranjo-te uma agora”, essas foram as palavras de amigo, que sao reiais porque os casais mistos ca so existem se o negro estiver bem socialmente caso contrario nao tens direito a escolhas. Mas nem todos os negros sao assim, a maior parte se conforta com a nossa propia cor,mas mesmo assim as diferencas sao enormes. Isso começa apartir do sistema da educaçao, passamos a maior parte estudando as revolucoes dos outros estado ou mesmo continente na disciplina de historia, contudo aumentando a auto-estima dos mistos que pensam ser brancos, e diminuindo a nossa. Pouco falamos das nossas revolucoes, e se falamos, a historia nunca esta ao nosso favor. Mas o maior problema e com o nivel de desistencia dos estudantes no nivel secundario que cria um grande desnivel na sociedade e mantem a mente de uns em contante evolucao e a de outros estatica.E no meu ponto de vista os negros deixaram de ser escravos fisicamente, mas ainda continuam mentalmente, porque os sistema nao morreu sou mudou de tactica. Acho que temos que estudar bastante e conhecer a dinamica do mundo para nos tornarmos livres totalmente, enquanto nao, os negros nao se olharao um a outro como irmao nem havera uniao, nao sou racista e gosto da minha patria acho que casaria com qualquer mulher desde o momento que fosse a ideal,nao falei das mulheres ca porque na maior parte as negras nao se deferenciam das mistas a maior parte sao intereceiras e poucas delas sao selectivas na etnia, porque so existe 1 casamento misto se ela estiver bem financeiramente caso contrario ou se ele for estrangeiro,se for nacional ele so ira usar por tempo indeterminado, ate encontrar a mulher que anda a procura “uma mista igual” e vai se embora.Mas dentro de tudo isso existe sim excessoes de ambos lados o que nao e frequente. Para quebrarmos as diferença entre nos os negros e perceber melhor o mundo so mesmo a escola tem esse poder, porque nada e perfeito nem mesmo o sistema que os brancos implantaram e a uma dada altura a quem planta colherá os frutos”a liberdade ”.

    • Aqui no Brasil é igual ou pior. As mulheres brancas, em sua maioria, ‘tomam’ os nossos homens negros para tirar o que eles tem, e logo engravidam para garantir a pensão.

  14. Quando alguns negros alcançam a liberdade econômica, vêem-se na oportunidade de experimentar aquilo que nunca foi aceite? … Desculpe, mas não concordo! Não há somente brancas de status social elevado, mas também aquelas que estão nas classes mais baixas, portanto, não é realmente necessário que o negro ascenda economicamente para ter acesso a uma mulher branca. Mas aqueles que rejeitam metodicamente as mulheres negras tentam apoiar-se na idéia de uma suposta liberdade adquirida pela ascenção econômica para camuflar o desprezo que têm pelas mulheres da mesma raça… Isso é óbvio! Já estive na África e vi negros “puros” em relações perceptivelmente amorosas com negras de aparência bem miscigenada, mas você dissse que: “Mistos geralmente nao se deixam envolver com negros…”??? Na atualidade não existe, em parte alguma do mundo, esse separatismo entre negros “puros” e miscigenados, que você definiu como “mistos”. E é muita babaquice um negro miscigenado não aceitar envolvimento com os “não-miscigenados”, afinal é racismo de negro contra negro. Mulatos são negros, então, chamar de “misto” um casal formado por negro e mulata é, no mínimo, ridículo. Tão ridículo quanto o próprio termo “mulata”. Coisas de terceiro mundo, com toda sua miséria intelectual .. Perdoe-me pela franqueza. Mas talvez isso seja algum resquício da mentalidade racista gerada pelo colonislismo europeu em terras africanas, que criou a idéia de “mistos”. Ou do maligno Apartheid, que denominava os negros miscigenados da África do Sul como Coloureds. Apesar de também oprimí-los, os brancos tentavam criar em suas mentes a ilusão de que eles eram diferentes e superiores aos demais negros. A estratégia era provocar separatismo e assim enfraquecer a população negra, que era e ainda é a maioria absoluta. Não só os africanos, mas também os negros da diáspora estão, hoje, conscientes de que essa coisa de “misto” foi uma estratégia de ‘dividir para conquistar’, usada pelos brancos para nos manter sob seu domínio. Tentaram instigar os negros miscigenados a separar-se dos demais e criar uma casta separatista. Algo semelhante ao que existe na Índia, onde são todos hindus (ou seja, da mesma “raça”), mas separados pelo covarde sistema de castas, onde até o casamento entre aqueles que são de castas diferentes pode ser motivo de deserção por parte de suas famílias. Meu nome é Lucas, criei esse perfil no Blogger com o apelido Umbabarauma por causa da música ‘Ponta de Lança Africano (Umbabarauma)’, do Jorge Ben Jor.

  15. Bom,não concordo plenamente com o texto , pois vcs generalizaram e não é assim com todos. Eu sou loira e namoro com um negro. O interesse foi recíproco ,detalhe ele não é rico , é claro que temos o nossos objetivos e queremos alcançar nosso sucesso,mas não foi o sucesso que nos uniu e sim a semelhança dos o ideais,a forma de pensar,a atração e consequente o amor. Aonde eu vou sem até mesmo querer atraio atenção das pessoas e com ele isso é mais frequente só que as vezes com o olhar de reprovação e a maioria deles vem e pessoas mais velhas,acho que graças a Deus o racismo é algo que está ficando no passado. O amor ele não tem raça,classe social,idade ele apenas acontece,se esses homens citados ai em cima estão com essas mulheres pelo fato de mostrarem elas como "troféu" isso tem outro nome se chama interesse. Já ouvi sim comentários racistas,mas não ligo a vida é minha e ela é muito curta para dar importância a essas opiniões. Ser humano não tem cor,ele tem valor e é isso que eu priorizo.

  16. Sabe , sou o namorado desta loira linda aqui de cima , e francamente não faria a menor diferença se ela fosse negra, albina ou ate mesmo azul , simplesmente mim apaixonei pelas ideias , não pela cor ou beleza (que por sinal ela e linda). e na minha opinião acho que o Brasil e o lugar onde menos deveria ter preconceito no mundo inteiro , pois tem uma enorme diversidade de raças. ObS:. eu também já fiquei com mulheres negras e não vejo problema algum nisso !!

  17. É impressionante como algumas pessoas não conseguem entender o foco central de determinadas discussões. O FOCO CENTRAL DA DISCUSSÃO É ESSE DESPREZO HORROROSO QUE EXISTE ENTRE OS NEGROS NO BRASIL, e que todo mundo sabe que éuma realidade, não é fantasia ou alucinação; então a discussão deve girar em torno disso. Mas se alguém não se envolveu com fulano/a por causa da cor dessa pessoa, então a carapuça simplesmente não lhe serve.Não sei não, mas me parece que estao tentando impedir a discussão de evoluir, porque o texto se refere ao preconceito de negros com outros negros ,e não preconceito de negros com brancos; aliás, negros geralmente não tem preconceito com brancos, inclusive, muitos vivem supervalorizando as "características de branco" e se esquecem de que sua africanidade também tem valor. Assim são os negros e negras que tem a tendência de desprezar pessoas do mesmo grupo racial.Mas os que tem essa tendência procuram esconder o fato, e se participam de discussões que abordam esse tema eles nunca admitem isso porque sabem que é ridículo, é sinal de baixa autoestima e de fraqueza psicológica e espiritual. No máximo dirão que já tiveram um/uma namorado/a negro/a mas que não deu certo. Mas vai saber se esse relacionamento aconteceu de verdade? É certo que quando a carapuça serve o culpado mostra a cara.Contudo, muitas de nossas ações e até a concepção que temos de nós mesmos sofrem influencia direta da sociedade; e desde cedo somos obrigados a engolir as convicções racistas de uma sociedade que associa africanidade à ausência de beleza, de inteligência, etc.; e a conceber que o sangue europeu concede todas as melhores qualidades humanas. É por causa dessa lavagem cerebral que muitos negros e negras são incapazes de reconhecer e apreciar a beleza e outras qualidades das pessoas de seu proprio grupo racial.

  18. Eu sou testemunha desse problema de preconceito entre pessoas negras. Sou branco, cabelos e olhos castanho claro, e vou expor fatos da minha vida cujos nomes não serão revelados por motivos óbvios. Quando terminei a faculdade de Matemática fiz estágio em uma escola secundária, e foi quando conheci uma jovem negra que trabalhava na secretaria. Começamos a sair e 5 mêses depois ela engravidou. Nós não nos casamos mas eu sempre fui um pai presente. Aos 23 anos de idade, após concluir a faculdade de fisioterapia, nossa filha conheceu um rapaz (negro) que também havia acabado de terminar a faculdade, e os dois começaram a namorar. Mas ela disse que sua mãe não ficou muito à vontade quando levou o rapaz em casa, apesar do cara ser muito educado. Sempre que nos encontrávamos, minha filha falava que a implicancia de sua mãe estava cada vez pior; e quando eu conversava com a mãe dela sobre isso, ela sempre dizia: “A gente educa a filha e gasta dinheiro com escola cara; pra ela namorar com ****inho?”; falava o nome do rapaz no diminitivo com todo desdém. Pelo que minha filha conhece dela, me disse que tem certeza que a sua mãe queria que ela se casasse com um branco. Os namorados anteriores eram brancos e ela nunca ficou contra, muito pelo contrário. Diante de tudo isso o inevitável aconteceu; minha filha saiu de casa e foi morar com o namorado, e hoje, 4 anos depois, eles estão casados. Com minha total aprovação. A tia da minha filha (irmã caçula de sua mãe) também tem esses problemas. Houve um aniversário de minha filha que ficamos conversando até altas horas; papo vai papo vem, ela meio “alta” soltou essa: disse que não se casaria com um negro porque não queria ser mãe de neguinhos catarrentos, como se ela mesma nem fosse negra pra falar dessa forma preconceituosa.

  19. De fato, no Brasil os negros não tem nenhum preconceito com brancos, mas tem um preconceito que é ainda mais triste: eles tem preconceito com eles mesmos. Na verdade a sociedade coloca-os uns contra os outros por incitá-los a reproduzir os pensamentos e atitudes herdados do legado racista e colonizador brasileiro.

    O Pelé, por exemplo, renegou à única filha que teve com uma mulher negra, diferente de seus outros filhos cujas mães são brancas… No entanto, a negra brasileira também despreza os homens de sua raça; o problema não é exclusivo dos homens apesar do texto da Revista Raça ter se concentrado neles. Outro dia eu li na ISTO É que a cantora Beyoncé foi eleita pela Revista People como a mulher mais bonita do mundo, e ela é casada com o Jay-Z, que também é negro. Penso que se fosse brasileira ela provavelmente não teria dado a menor chance a um negro.

    Mas se ilude quem busca a miscigenação pensando que “clareou já não é mais negro”. Continua sendo negro mesmo não sendo tão puro quanto um africano.

  20. Eu penso muito sabe, sobre esse assunto, penso no amor que existe entre as pessoas, e também na raça que não pode acabar, eu queria nascer negra, e sou loira dos olhos verdes, acho as negras lindas, me encanto com homens negros, acho que na minha opnião o amor vem em 1° lugar, talvez eu esteje errada, mas o tempo vem e me ajude a aprender algumas coisas.

  21. É muito triste esta verdade,eu já senti isso na pele .Já me apaixonei por dois negros que me abandonou pra ir viver com loiras, homens que queriam estar comigo des-de que fosse entre 4 paredes mas pra assumir compromisso eles assumiam com a loira e não emporta o quanto caracter a gente tem e se a outra não tem nenhum ,só o que vale é eles ter o orgulho de estar ao lado de uma loira, mesmo que fique correndo atraz da negra querendo ter escondido.
    sofro muito com isso por que só me entereso por homens negros e sei que para eles uma negra só serve como amante.

  22. Como é possivel tanta besteira escrita em um só artigo?
    Sou Negro, empressario, tenho casa própria, 2 carros na garagem, e um patrimônio razoavel para alguem de 35anos, meu filho tem 8 anos e nunca estudou em escolas publicas e SIM, sou casado a 12 anos com uma linda mulher negra, a quem não trocaria por qualquer outra albina. O fato mais importante não abordado nesta matéria é que. Negras não se deixam enganar, não deixam ser usadas e não aceitam os descaminhos que nós homens negros cotidianamente gostamos de percorrer, ja a branca é submissa, facilmente dominada e ou enganada.
    Porem o maior motivo nos dias atuais é a onda de valorização da mulher negra, uma fase de auto descoberta, as negras hoje são capazes, educadas, bem empregadas e não disponiveis para aventuras sem sentido, ja as brancas rsrs pouco papo e certeza de recompensa.
    A verdade elas as brancas adoram ostentar seus criolos por ai, e afrontar a sociedade.
    E como na musica vocês brancas ou brancos todas vocês :
    Só observar pra tu ver que tamo por todo lado
    Elas podem não gostar da minha cor,
    Mas gostam do meu suingado

  23. Quando os homens negros renegam as negras, estão excluindo aquilo que aprendemos na sociedade, desde sempre, que é o feio, ou seja, ser negro, escravo, pobre, faminto, ladrão… Sempre namorei homens negros e brancos e sou negra. Hoje estou com um negro separado de uma branca pobre que herdou a casa dele, recebe a pensão dos filhos, nunca trabalhou, fez faculdade que ele pagou e quando ela se formou deu um pé na bunda dele e mesmo assim ele se refere a ela como uma santa. Fora que que ela já comprou outra casa e botou pra alugar a que era deles e ele nem ficou sabendo que o endereço era outro na hora de buscar os filhos no dia de visita. Ela já fuçou meu facebook e quando começamos a namorar já fazia mais de anos que eles haviam se separado, mas ela ligava sempre que precisava dos serviços dele, sei la´quais. Quando começamos a morar juntos, ela o ameaçou dizendo que os filhos deles não iam dormir na casa de uma ‘vagabunda’… e olhe que trabalho, sou jornalista, tenho um filho de 19 anos que mora comigo, tenho apartamento próprio no centro de são paulo, muito bonito por sinal, e a tal ex-esposa ‘branca’ disse que eu era a vagabunda. Quando eu toco no assunto ele fica nervoso e ainda protege ela. A sensação que tenho é que para ele, separar da mulher branca ainda dói, talvez para ele seja uma derrota, porque ele casou com ela ainda muito jovem, mas já ganhava bem e disse que ela era virgem e tal… Fico pensando porque eles gostam das bundas cor de rosa? Eu não prefiro homem tipo esse ou aquele. Já namorei com vários tipos e fui casada com um negro. Não me arrependo de nenhum relacionamento que tive com brancos, negros, loiros e até um ruivo que namorei.
    Sou neta de italiana e negro, minha familia é toda misturada, afinal moro no Brasil. Observo que os primos que casaram com mulheres brancas vivem muito mal tratados por elas e quase todas não trabalham, sem sequer estudam e ainda por cima são feias. já aqueles que casaram com negras mulatas e outros tons mais “escuros”, TODAS trabalham, ajudam a cuidar da casa e dos bens e vivem sempre em conflito. Os negros não dão valor a maioria das esposas e namoradas negras. É triste, porém verdade. Debato muito isto com meu filho e dou exemplos a ele. Ele é negro, inteligente, nerd…. faz engenharia e as mulheres brancas já rodeiam ele e eu aviso para tomar cuidado, porque não é a cor que mostra o caráter, mas as mulheres negras são em sua maioria, guerreiras e lutadoras, portanto, boas esposas. Já a mulher branca que casa com um negro, sonha que ele a sustente e a trate como rainha, já que ela deu a cor dela que dá ‘status’ a ele, em troca do conforto que ela quer. Absurdo mas observem a partir de nossas familias e amigos e vejam se tenho razão. Que triste.

  24. Eu tenho visto muito negro com preconceito com o próprio negro, o negro quando ascende o lado profissional ele se rodeia amigos e ambientes frequentado por brancos sempre se colocando como o amigo negão da turma de brancos e isso serve para as mulheres negras tambem, que quando bem sucedida tambem faz o mesmo, são muito raras a exceções, pois sou negro casado com uma branca, mas nunca me distânciei dos amigos negros por conta disso, frequento muitos lugares onde a maior parte das pessoas são negras e vice versa, acho que isto não é uma regra para a situação e sim uma questão individual onde existem negros que preferem brancas, mas conheço muitas brancas que querem os negros, e dai, o que existe de errado pessoas de raças diferentes se atrairem e firarem juntas, acho isso uma tremenda besteira, acho que pessoas com essa visão arcaica nos dias de hoje, cheira a preconceito individual com visão menor a respeito desse assunto. O que esse povo precisa entender é que qualquer pessoa que melhora um pouco a sua situação financeira e social vai procurar lugares melhores para frequentar e lá vai encontrar pessoas de todas as cores sendo negras, brancas, japonesas e etc… e infelizmente o negro não está muito presente nesses lugares existem alguns negros que frequentam mais é muito pouco a maior parte se concentram nas baladas de periferias e escolas de samba que tambem são muito boas, mas é aquilo quem tem um pouco mais de grana vai para lugares mais sofisticados isso não quer dizer que sejam melhores são diferentes, e isso não é preconceito e sim condição social, se ele ou ela gostarem de alguem que não seja da sua cor, tá Limpo e Lindo pois atração, sentimento e tesão não tem COR!

  25. Infelizmente isto é uma realidade triste e cruel, o preconceito, evidente entre os próprios negros. Não há do que se orgulhar em relação ao contexto histórico vivido pelos negros no passado, muito pelo contrário, a rejeição, decorrente da discriminação, a exclusão da sociedade, o complexo de inferioridade pela cor da pele, ensejou esta raiz de rejeição, de maneira que, a libertação dos escravos existiu tão-somente na teoria, mas NÃO existiu no interior do negro. Assim sendo, eles convivem diariamente com a “auto-discriminação”, não se aceitam, e por consequência, lutam diariamente com questões particulares mau resolvidas, por exemplo, na mulher branca encontram uma espécie de fuga, para que não se depararem consigo mesmo. Observando que, existe a questão do amor, afinidade, nada impede que um casal misto (negro e branca) se apaixonem e estejam juntos por laços afetivos, porém, isto não ocorre na maioria dos casos!!!

  26. Tudo é defendido aqui,amor,coração preconceito

    O que não defendido aqui é a família preta que esta desaparecendo.

    O sistema racista desse pais,desde o fim da escravidão tenta embranquecer as famílias pretas. Hoje,a mídia é um trunfo nas mãos deles.

    Sem falar do dano mental que o racismo deixou em muitos negros que se voltam contra sua própria etnia.

    Na mídia não se tem referência alguma em relação a família preta.

    é como uma propaganda,eles usam a mesma tática para colocar na mente dos pretos essa família multi étnica e com isso perdemos nossas referências.

  27. Me lembro, que o nicho que mais me proporcionou o racismo, foi minha família materna. Essa que é composta por sujeitos negros, e que em sua maioria casaram ou tiveram filhos com brancos. E as maiores falas racistas, vinham dos ascendentes desses, ou seja, meus primos. Essa vivência racista no meu leito familiar, foi quem me despertou o olhar para essa crise que vivemos em nosso país. E de fato, reforça o artigo, onde a maioria se nega a ter relação com pessoas negras, para negarem ou apagarem os traços dos seus descendentes. Vejo que há amor, desses filhxs por sua família, a negação está é nos traços físicos, visto por esses como diminutos, feios e inferiores.

    Kerstin, Mestiça!

  28. Concordo plenamente com esse artigo, eu sou casado com uma mulher negra, mas na minha adolescência sempre almejei ter uma loira, inclusive namorei duas mulheres uma loira e outra nem tanto, porem, mais clara que eu. O que eu sentia era uma sensação de poder e superioridade a meus amigos negros, já que esses se sentiam inferior por serem negros. Eu sentia essa inferioridade e busquei em uma mulher clara a sensação de ser igual a um branco. Hoje vejo que isto era uma atitude preconceituosa da minha parte mas era também uma questão de necessidade. Sou muito feliz atualmente casado com uma negra e me sinto ainda mais importante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s