Uncategorized

De um lado é este carnaval… Do outro, a fome total!

De um lado é este carnaval… Do outro, a fome total!

POR MAURICIO PESTANA*

FOTO RAQUEL ESPIRITO SANTO
Maurício Pestana é presidente do Conselho Editorial da RAÇA BRASIL pestana.raca@escala.com.brwww.mauriciopestana.com.br

A cultura, em um mundo globalizado como o de hoje, é setor estratégico em vários países. Prova disso são os relatórios do Banco Mundial indicando que 7% do PIB do planeta provêm deste produto. A América Latina e a África, apesar da diversidade cultural que possuem, não somam 4% da movimentação desse mercado em que apenas cinco paises controlam 60% de toda a produção. Somente as empresas de Hollywood possuem 80% das salas de cinemas de todo o planeta.
No Brasil, segundo os últimos dados do IBGE, a indústria cultural conta com mais de 269 mil empresas e emprega 1, 4 milhão de pessoas (sem contar a economia informal). Em um país onde a cultura negra é patente, estando presente em todos os aspectos, como música, culinária, religião, artes visuais, moda, dança…, torna-se praticamente impossível pensar no Brasil sem reportar à sua influência. E qual a contrapartida econômica que esta contribuição tem dado a nós negros?
Nas vésperas de realizar o maior evento cultural do país, o Carnaval, ressurge a velha história: quando se trata de setores estratégicos e lucrativos, mesmo sendo nós os protagonistas da festa, não somos nós que levamos a maior parte do bolo.
Das grandes escolas de sambas, concentradas principalmente no eixo Rio-São Paulo, a maioria não é mais comandada por famílias negras como no passado, quando o carnaval não era um negócio lucrativo dos milhões de dólares dos dias atuais. Se focalizarmos a cidade onde a cultura negra é soberana – onde mais de 80% de sua população é negra – o retrato será igualmente desolador e a história se repete: os que mais lucram no carnaval de Salvador não são os negros.
Registrado no Guiness Book como a maior festa popular do mundo, o Carnaval soteropolitano, neste ano, tem investimentos astronômicos de empresas que vão de grandes cervejarias à telefonia móvel, passando pelas de cartões de créditos, entre outros gigantes financeiros.
A cobertura jornalística se fará em180 paises, através de 24 jornais (oito internacionais e 17 nacionais), 37 emissoras de televisão estrangeiras. Estima-se que mais de dois milhões de pessoas circularão durante a festa, (das quais 450 mil são turistas brasileiros e do exterior) gerando uma receita de US$ 87.000.000, segundo as Secretarias de Cultura e Turismo da Bahia (Bahiatursa). Mas não são necessárias estatísticas para demonstrar a nítida desigualdade!
O protagonismo negro apresenta-se maciçamente na outra ponta da economia, a dos trabalhos informais, como cordeiros de blocos, ambulantes de acarajés, picolés, venda de coco na praia, catadores de latinhas… mostrando a verdadeira face do apartheid social e racial na principal cidade negra do país.
Em meio a todas essas desigualdades, e depois de muitos protestos dos blocos afros, algumas ações do governo têm procurado atenuar as disparidades. Uma delas é o programa Ouro Negro que, no ano passado, distribuiu R$ 3,7 milhões de reais como apoio a 106 blocos de matriz africana, que, sem esse auxílio, não teriam condições de sair às ruas.
Outra iniciativa tem sido o incentivo ao turismo étnico, visando alavancar negócios na comunidade negra, que ainda se mostram tímidas diante do tamanho da desigualdade que nos dias de hoje mudaria o verso do poeta Vinicius de Moraes para: “Se o samba nasceu lá na Bahia e se hoje ele é branco na poesia, ele é “… branco demais, também na divisão dos lucros
.
fonte: revista RAÇA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s